. .

Entenda o mecanismo da ansiedade

A Ansiedade é algo natural de todo ser humano. Um estado emocional que é ativado automaticamente em eventos importantes. Momentos em que de alguma forma corremos perigo. Seja perigo de vida, uma prova decisiva, um encontro ou reunião importante ou mesmo o medo de passar vergonha em uma apresentação. São sintomas comuns do que conhecemos por ansiedade: frio e suor nas mãos e pés, batimentos cardíacos acelerados, dilatação das pupilas, alteração de pressão e circulação sanguínea, a respiração alternar para um ritmo curto e ofegante, suor excessivo e incapacidade de concentração.

Biologicamente a ansiedade se trata de um mecanismo de defesa e preparação para enfrentamento ou fuga frente a um perigo eminente. Não é necessariamente uma doença e tem seu lado positivo.

A explicação evolutiva para termos desenvolvido os sintomas de Ansiedade está nas ameaças naturais. Você deve imaginar que ser um ser humano das cavernas não era fácil. Era necessário estar preparado rapidamente para qualquer ameaça. Nosso corpo tinha que ter um sistema de luta ou fuga rápida para quando um predador ou tribo inimiga atacasse de surpresa na calada da noite.

Então nosso organismo desenvolveu essa espécie de “Kit Turbo” que ao ser acionado nos prepara para uma situação de luta ou fuga. Para isso o coração acelerava alterando a pressão sanguínea. Bombeando sangue para as partes extremas do corpo preparando pés e mãos para correr, se defender ou atacar fazendo uso de algum objeto como uma pedra ou arma. A pupila se dilatava para permitir melhoria da visão. A concentração se focava na ameaça específica apagando o resto da mente; e a respiração se tornava rápida e curta para manter o turbo funcionando.

Entenda que conforme nossa sociedade foi evoluindo os perigos deixaram de ser ameaças naturais e passaram a ser mais sociais, complexos e muitas vezes imperceptíveis para nós. Por isso nosso kit turbo pode disparar sem motivo aparente ou que possamos identificar. Causando colaterais no desempenho. Roubando a concentração e causando o famoso “branco” na hora da prova importante; travando o comportamento e a garganta na hora da entrevista ou apresentação; chegando a casos extremos de ataques de pânico e fobias sociais.

Perceba que todas as pessoas, inclusive crianças, experienciam ansiedade. O que varia é a intensidade e a duração dos sintomas da ansiedade na história de vida de alguém. Algumas pessoas sofrem e são verdadeiramente sequestradas pela sensação de ansiedade; mas mesmo que você ainda não tenha percebido existem pessoas que sentem e lidam com a ansiedade de maneira inteligente.

É  necessário ter em mente que o exercício do controle da Ansiedade não é algo como uma receita mágica é antes de tudo um exercício de auto-controle e autoconhecimento. É preciso se conhecer bem para desenvolver estratégias que possam canalizar a bioenergia da ansiedade para a realização de atividades mantendo aquele frio na barriga de empolgação e determinação de lidar com os pequenos desafios da vida diária e superá-los.

Nunca é demais falar em autoconhecimento, pois este é a base para o desenvolvimento de qualquer habilidade psicológica ou emocional. Pense que para qualquer cargo ou papel que você vá exercer terá de levar sua personalidade em conta para se adaptar. Sempre temos nosso próprio jeito de fazer as coisas e compreendê-lo é a melhor maneira para uma boa adaptação a novos ambientes e situações. Buscando entender a própria personalidade entendemos como funciona nossa ansiedade.

Uma ótima forma de sempre atualizar a auto-percepção é se monitorando através de exercícios e atividades meditativas e reflexivas. A prática de qualquer forma de meditação ajuda tanto a aprender a relaxar, respirar melhor e esvaziar a mente de preocupações e pensamentos desnecessários quanto na organização mental. Uma mente desorganizada se torna autosabotadora, perde metas e não busca por evolução por não saber o que fazer. Assim acumula problemas mentais para resolver e gera ansiedade. Já uma mente determinada não escolhe temas negativos para pensar. Mantém foco no positivo, nos objetivos e propósitos. Sem foco não há controle de ansiedade.

A prática da meditação voltada para a autoanálise nos leva a uma técnica muito interessante sobre a qual quero falar no futuro: A auto-programação mental. Uma mistura de Programação Neuro Linguística (PNL) e meditação. Um estado meditativo onde passamos a observar claramente nosso comportamento e auto programar estratégias de mudança.

Ter inteligência emocional é saber identificar e gerenciar emoções em si mesmo e em outras pessoas. É saber se automotivar e motivar outras pessoas evitando que emoções negativas como a ansiedade se generalizem. 

Quando temos metas definidas deixamos claro para nosso organismo para onde direcionar a energia; quando não temos a energia fica a deriva. Se você tem muita energia não reclame, agradeça e use isso de forma inteligente.

O sono é um regulador natural do nosso organismo. Quando dormimos bem atingimos estados de sono profundo causando um efeito como reiniciar o sistema. O sono é responsável por atividades importantes como fixação da memória; pela liberação de substâncias, neurotransmissores, que regulam o humor.

Não beba refrigerantes, consuma cafeína ou comidas pesadas durante a noite e evite exagerar desses produtos durante o dia. A cafeína e refrigerantes causam um efeito como que ligar o turbo, mas o abuso pode gerar problemas no sono e na concentração mental. Se você desconta a ansiedade na comida busque outra atividade que possa fazer ao invés de comer: Desenhar, tocar um instrumento, beber um suco de frutas, praticar um esporte ou dança, ou outra coisa que sinta motivação.

Ver a vida como uma oportunidade é essencial para a automotivação. Um depressivo tende a se entregar aos problemas e a ansiedade que esses trazem resumindo o mundo aos seus pontos negativos. Se tornando escravo de emoções e pensamentos negativos deixando a ansiedade o consumir começando pelas unhas.
Um esportista, por sua vez, tende a “queimar” esse combustível gerado pela ansiedade e buscar técnicas para educá-lo em favor de suas metas de autosuperação. Quando sabemos dar vazão a ansiedade pode se tornar em algo benéfico, uma fonte de motivação. Foco em atividades e pensamentos positivos, pois em última instância tudo é uma escolha, inclusive a ansiedade.

 

Elias Balthazar – Psicólogo 

https://terapiadebolso.com.br/buscar/psicologos